sexta-feira, 30 de novembro de 2007

anos 70

Perdi o lançamento deste livro de contos de Vitor Biasoli mas consegui uma dedicatória menos de uma semana depois, em nosso já tradicional encontro das quintas-feiras. A edição é da Movimento, bem cuidada, com apresentação e guardas escritas por amigos que são também leitores atentos. Os doze contos são curtos, acredito que escritos já há um certo tempo e burilados agora, com a mão de um autor já senhor de seu ofício. Os temas e o tratamento remetem o leitor a questões que eram caras a nós brasileiros nos anos 1970: a repressão política; as várias liberdades possíveis (política, artística, sexual); os conflitos entre pais e filhos. Há nostalgia nos contos mas o tratamento é sempre forte. Porto Alegre aparece explicitamente em um dos contos, mas é uma Porto Alegre triste e velha, provocando um amargor que ao menos para mim não é uma coisa ruim de se ter ao revirarmos estes baús e memórias. Em um ou outro (vigília; caminho sem volta; uísque sem gelo) o desfecho soa um tanto artificial e forçado, mas todos eles têm personagens fortes que ficam povoando nossa vida um tanto ao longo do tempo da leitura. Fico a pensar se o Vitor não guardou algum destes contos para ver se eles evoluiriam para um romance de aprendizado ou de formação. Esta é uma teoria boba na verdade. Basta o Vitor um dia me dizer que os contos foram todos escritos agora, novinhos como pão fresco, que eu perco a teoria e a razão. Mas que eu acho isto, lá isto eu acho. Belo livro.
Uísque sem Gelo, Vitor Biasoli, editora Movimento, 1a. edição (2007) ISBN: 978-85-7195-110-5

2 comentários:

Vitor Biasoli disse...

Obrigado pela leitura e comentário inteligente. Sempre um leitor atento. E realmente tua teoria tem fundamento: alguns desses contos têm a pretensão, tem um projeto implicito, de um dia vir a ser narrativa mais longa, quem sabe um romance.

Tempestade Interior disse...

Bah, que tri!

Sou aluna do Biasoli na facul e ele é o professor mais criativo que temos lá... com certeza, sem demora, sairá um baita de um romance, com alguma dança do shaduff na antiguidade!!
=D

Ah, e Aguinaldo, já fui tua aluna também! Em 2008 ingressei em Física bach, mas não me adaptei à matemática, infelizmente. Desisti do curso em um mês. A Astronomia era meu sonho... hoje apenas um hobby, digamos assim.


Abraço. ^^