sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

1q84 livro1

Após ter lido de Haruki Murakami "Do que eu falo quando eu falo de corrida" e  "O incolor Tsukura Tazaki e seus anos de peregrinação" decidi enfrentar seu livro mais ambicioso, 1Q84, publicado em três partes entre 2009 e 2010. O título explicita uma brincadeira fonética, pois o número 9 em japonês é pronunciado "kiú", que é mais ou menos o som da letra Q em inglês. O livro se passa em 1984, de abril a dezembro, ou melhor, esse primeiro volume corresponde aos meses de abril a junho, sendo que os outros dois volumes seguem cronologicamente os meses de 1984 até dezembro. Uma associação com 1984, a admirável distopia de George Orwell é inevitável, mas o mundo fantástico criado por Murakami é bem menos assustador e verossímil. Logo veremos. O que é narrado em capítulos alternados corresponde as vidas paralelas de dois protagonistas do livro, Aomane e Tengo. Aomane é uma garota  que trabalha com fisioterapia e artes marciais, mas que mantém uma outra atividade profissional em segredo. Tengo tem mais ou menos a mesma idade que Aomane e também tem uma atividade profissional pública (é professor de matemática no nível médio e tem ambições literárias) e, a exemplo dela, se envolve em um projeto - no caso dele literário - secreto. Murakami sabe contar sua história e rapidamente envolve o leitor em uma trama de mistério e aventura. Seus personagens são solitários, quase anestesiados por convenções e regras de conduta. Ele mescla no livro partes algo eruditas, reflexões filosóficas, digressões sobre música, literatura, arte e economia com descrições mundanas, referências a cultura pop e generosas cenas com as proezas sexuais de seus personagens. Já li os dois outros volumes e não quero antecipar o desfecho do livro (nem poluir demasiadamente esse registro com spoilers). A forma como ele apresenta o fluxo de consciência de seus personagens se destaca, mas a narrativa não me empolga muito (por mais fantasia, metáforas inteligentes e invenção que ele acrescenta ao livro). Bueno. Em breve conto mais sobre os sucessos de Aomane e Tengo.
[início: 19/12/2014 - 23/12/2014]
"1Q84, livro1 (abril-junho)", Haruki Murakami, tradução de Lica Hashimoto, Rio de Janeiro: editora Objetiva / Grupo Prisa, 1a. edição (2012), brochura 15x23,5 cm., 430 págs., ISBN: 978-85-7962-180-2 [edição original: 1Q84 ((いちきゅうはちよん) (Tokyo: Shinchosha Publishing Co) 2009]

2 comentários:

Rodrigo Parreira disse...

Oi Guina. Faz tempo acompanho o Murakami. Acho um escritor bem especial, misturando humor, misticismo e um toque de sensibilidade meio adolescente. O primeiro que li, faz uns 15'anos foi "A Wild Sheep Chase", uma história mistica cheia de humor, retratando um Japão meio insano que mistura o moderno e o tradicional e que não sabe muito bem se posicionar na confluência de ambas as coisas. Depois li "Dance, Dance, Dance", que é uma continuação meio sombria do anterior. "Norwegian Wood" acho que ainda é meu favorito. Uma história sensivel deu um adolescente virando adulto no Japão da virada da década de sessenta para setenta. Gostei tambem de "Kafka ont the Shore" que meio navega em temas que tocam os outros livros. Também é um livro sobre fim da adolescência mas com toques de realismo mágico muito legais. De fato acho o Murakami um dos melhores escritores atualmente em atividade.

Aguinaldo Medici Severino disse...

Oi Parreira, como vais? Eu gostei muito do primeiro livro que li dele, mas essa trilogia não me enencantou. Vários amigos já me sugeriram o Kafka à beira-mar e o Norwegian Wood. Vou sim ler com calma esses dois e outros que encontrar dele. De resto tudo certo. Trabalhos e viagens. Alegrias e aborrecimentos. Em agosto estive em SP para os 70 anps do Frank Missell. Reencontrei Péricles e Oscar. Brindamos a você. Bom 2015. Abraços. Guina