sábado, 3 de maio de 2008

mentiras

Na última vez que fui a Porto Alegre achei este "Mentiras" em um balaio de 3 reais. Comprei e comecei a ler ainda no ônibus de volta, mas eis que a partir do meio o livro havia uma infinidade de erros de edição: cadernos trocados, páginas faltando, caracteres ilegíveis. O dinheiro explica quase sempre quase tudo. Consegui trocar o livro (o livreiro é meu amigo, mas acho que ele faria o mesmo com qualquer cliente lesado). Ainda bem que fiz a troca, pois a segunda metade do livro é fantástica. "Mentiras" foi escrito mais ou menos na época do livro posterior que li recentemente de Roth (Patrimônio). A primeira metade é feita de "sketches" ou cenas curtas, descrevendo aqueles momentos onde amantes ficam na cama conversando bobagens relacionadas ou não ao sexo e a relação de ambos. Parece algo como um catálogo de conversas pós-trepadas. É bem esquemático mais curioso de se ler. Os temas são os de sempre: sexo, adultério, literatura, judaísmo, psicologia, casamentos, intelectualismo, doenças graves. Philip Roth não é nunca um autor sutil ou discreto afinal de contas. "Mentiras" é um belo livro, cabe dizer, assim como não é demais escrever que Roth é um excelente escritor. Uma das frases favoritas que compilei neste livro diz que na vida as ironias nunca acabam. Grande verdade. Na segunda parte do livro o esquema das cenas curtas muda um tanto. O câncer surge como sempre nos livros dele, pois é uma ferramenta de trabalho para Roth. A vida das pessoas sofisticadas que ele descreve se torna ainda mais rica e complexa. No final um par de torpedos metalinguísticos explicam o livro para o leitor. De certa forma o final de "Reparação", que li recentemente e resenhei aqui, já está contido neste "Mentiras", escrito por Roth dez anos antes (mas isto não é exatamente um demérito para Ian MacEwan). No final o emulador de todo efebo: Homero e sua Odisséia, pairam sobre tudo. Grande livro.
"Mentiras", Philip Roth, tradução de Sérgio Flaksman, editora Siciliano, 1a. edição (1991) brochura 14x21cm, 183pág. ISBN:85-267-0324-2

4 comentários:

marcelo disse...

Fui saber deste blog na matéria do jornal, Guina!
Está devidamente linkado no Poesilha.
aBROSSAS!

memorabília disse...

e aeh aguinaldo! ficou bacana a matéria do chico. através dela cheguei até aqui. muito bom teu blog!! parabéns!! sucesso no bloomsday nessa segunda. vou recomendar teu blog nos meus links de indicação. dá uma olhada no meu blog quando der: gringsmemorabilia.blogspot.com

abç.

memorabília disse...

e aeh aguinaldo! ficou bacana a matéria do chico. através dela cheguei até aqui. muito bom teu blog!! parabéns!! sucesso no bloomsday nessa segunda. vou recomendar teu blog nos meus links de indicação. dá uma olhada no meu blog quando der: gringsmemorabilia.blogspot.com

abç.

memorabília disse...

e aeh aguinaldo! ficou bacana a matéria do chico. através dela cheguei até aqui. muito bom teu blog!! parabéns!! sucesso no bloomsday nessa segunda. vou recomendar teu blog nos meus links de indicação. dá uma olhada no meu blog quando der: gringsmemorabilia.blogspot.com

abç.