domingo, 7 de junho de 2009

hombre sentimental

"El hombre sentimental" foi publicado em 1986. É um romance curto, pouco mais de 150 páginas, mas que se lê com muito prazer. Trata-se da história de um triângulo amoroso (mas todas as histórias passadas e futuras não são sempre de um tipo de triângulo amoroso?) Paciência. Durante uma viagem de trem em direção a sempre estival Madrid um cantor de ópera divide uma cabine com três pessoas (dois homens e uma mulher). A mulher é casada com o mais velho dos dois que a acompanham, sendo o outro homem secretário, estafeta e segurança do marido. O cantor não chega a se apresentar ou a conversar com os três, mas de alguma forma já percebe que aquela mulher teria algum papel importante em sua vida. Casualmente ele se encontra com este secretário em um bar/restaurante do hotel onde está hospedado e logo conhece e passa a dividir seus dias de ensaio na capital espanhola com o estranho casal. O marido nunca está presente, trata-se de um importante financista holandês, desde muito radicado na Espanha. Dito assim parece uma história de paixão, sedução e traição (será sempre nesta ordem?), mas não é assim que Javier Marías opera. O livro começa com um sonho do narrador (o cantor de óperas). Ele sonhou com aquele dia no trem, que de fato aconteceu quatro anos atrás, sonhou com ele e a mulher, já seduzida, algum tempo depois, em um quarto de hotel e também sonhou com coisas mais recentes de sua vida. Enquanto lentamente sai do sonho para a vigília tenta interpretar tudo o que se passou, como se estivesse fazendo uma análise em tempo real, sendo que sua consciência faz as vezes de analista. É um livro muito bom, muito instigante, cheio de vida e reflexão. A música e a forma como a música afeta os homens tem um papel importante na história. O amor, antes de uma coisa boa, é um fardo que homens e mulheres têm de suportar, uma provação pela qual todos têm de passar. Que bela história. [início 14/04/2009 - fim 17/05/2009]
"El hombre sentimental", Javier Marías, ediciones Debolsillo (1a. edição) 2007, brochura 13x19, 162 págs. ISBN: 978-987-566-256-8

2 comentários:

Natália Diacoyannis disse...

Oi Dini, senhor dos livros!
Venho aqui para te perguntar se tu tem algum livro bom pra me indicar, estou querendo ler faz mais de um ano mas não tenho conselhos e todas as vezes que fui nas bibliotecas procurar por livros tinha a má sorte de só pegar bucha :P
Amanha vou voltar lá. Beijos, Nati

Natália Diacoyannis disse...

Só pra mandar um beijinho.
p.s.: prometo ler o próximo post hehehe :P