terça-feira, 9 de outubro de 2012

a arte de viajar

Li uns dois ou três livros de Alain de Botton nos anos 1990 e dei um basta. Achei interessante sua pretensão de aproximar o público leitor de algumas ferramentas analíticas da filosofia, mas o resultado (os livros afinal de contas) era muito irregular. "Como Proust pode mudar sua vida" foi a gota d'água. O Proust que aprendi a amar lendo seus livros parecia um pobre desgraçado, condenado a emitir platitudes, numa espécie de guia de auto ajuda sofisticado, mas raso, uma tragédia do começo ao fim. Nessas férias de inverno encontrei, justamente em um aeroporto, "A arte de viajar" e decidi experimentar. É um livro relativamente antigo (de 2002). Alain de Botton sai de sua invernal Londres e viaja, tomando notas e experimentando o estranhamento de estar fora de casa. Vê-se na ensolarada Barbados, na úmida Amsterdã, na ruidosa Madrid, no idílico Lake District (no interior da Inglaterra), no infinito Deserto do Sinai, na exuberante Provença. Descreve aeroportos, postos de gasolina, rodoviárias, estações de trem, autopistas. Compara suas impressões com os registros de outros escritores e artistas, como Huysmans, Baudelaire, Hopper, Flaubert, von Humboldt, Wordsworth, Burke, van Gogh, Ruskin, de Maistre. As associações que ele faz são mesmo interessantes e induzem o leitor a procurar em outros textos o aprofundamento dos conceitos, mas claro, o leitor percebe logo o quanto o projeto tem de artificial, como se ele já soubesse de antemão o que sentiria em cada lugar e apenas buscasse a confirmação de idéias pré-estabelecidas. Mas isso não é um problema. O leitor pode entrar nesse jogo e aproveitar a abordagem dele, já é alguma coisa. O livro inclui várias fotografias que de certa forma auxiliam o leitor a acompanhar suas considerações. Razoável, mas já chegou a hora de incluir cousas com mais estofo por aqui (viajei muito desde julho e tenho um bocado de resenhas atrasadas). Paciência. 
[início: 26/09/2012 - fim: 29/09/2012]
"A arte de viajar", Alain de Botton, tradução de Clóvis Marques, Rio de Janeiro: editora Intrínsica, 1a. edição (2012), brochura 14x21 cm, 253 págs. ISBN: 978-85-8057-221-6 [edição original: The Art of Travel (London: Hamish Hamilton) 2002]

Um comentário:

Clara Lopez disse...

Ai, ai, ai - adoraria ler sobre as viagens :)
abraço, clara