segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

hemingway

"A boa vida segundo Hemingway" não é exatamente um livro que se recomende. Comprei este livro totalmente por impulso e li em trinta, quarenta minutos. Que caça-níqueis vagabundo! Eu já sabia do que se tratava, mas comprei assim mesmo pois precisava distrair-me em uma curta viagem de ônibus. Para fins mais nobres seguro que este livro não presta. Trata-se de uma série de aforismos, frases, citações e guardados compilados de e sobre Hemingway, perpetrados por um jornalista que chegou a escrever uma longa biografia sobre ele anos atrás e deve ter percebido que poderia ganhar um punhado a mais de dólares requentando o material não aproveitado. Claro, há um bocado de fotografias que cobrem toda a vida do sujeito, do nascimento às semanas que antecederam sua morte. As fotos (cerca de 150, em preto e branco) salvam o livro, que é dividido em capítulos curtos: família, amigos, viagens, esportes, guerra, e por aí segue. Levei mais do que os 40 minutos de leitura apreciando as fotos, confesso. Quem tem admiração pelo autor de "O velho e o mar", "O sol também se levanta", "Por quem os sinos dobram" se diverte um tanto, mas nada mais do que isto. Ligeiro. [início / fim 28/11/2008]
"A boa vida segundo Hemingway, A.E. Hotchner, tradução de Luis Fragoso, editora Larousse do Brasil (1a. edição) 2008, brochura 16x23 158 págs. ISBN: 978-85-7635-416-1

Um comentário:

Nana disse...

Grande Dini e seu blog de livros hehe
beijo te adoro