sábado, 3 de janeiro de 2009

semmelweis

“A vida e a obra de Semmelweis” é uma biografia de Ignaz Semmelweis, um húngaro nascido em 1818 e morto em 1865. Apesar de conhecê-lo desde muito tempo somente li este livro por conta de um pedido do Luís-Fernando Schelp, pois ele decidiu presentear seus ex-alunos de medicina com uma versão caseira do texto e precisava de um leitor para encontrar eventuais “barrigas” na transcrição. Publicado em livro em 1936 “A vida e a obra de Semmelweis” foi inicialmente a tese de doutoramento (em medicina, 1924) do grande escritor francês Louis-Ferdinand Destouches (que posteriormente adotou o sobrenome materno Céline ao assinar seus livros). Trata-se de um pequeno texto que serve a muitos propósitos: aprendemos algo sobre o método científico; sobre a história da medicina; sobre como escrever bem um texto; sobre a vida de um médico húngaro que não soube evitar sua própria decadência. Hoje se sabe que Semmelweis não foi o primeiro médico a descobrir que a febre puerperal (ocorrência médica onde a temperatura de uma parturiente fica maior ou igual a 38°C nos primeiros dez dias após o parto) acontece principalmente pela falta de assepsia, do simples procedimento de médicos e enfermeiras não lavarem as mãos a cada procedimento ou exame que tinham com uma paciente. Oliver Holmes nos Estados Unidos, Charles White na Inglaterra e Alexander Gordon na Escócia, já haviam discutido como cuidados básicos de higiene poderiam diminuir óbitos nos procedimentos obstetrícios, mas o caso de Ignaz Semmelweis é sempre lembrado, pois suas conclusões e sugestões nunca foram aceitas pela comunidade científica austríaca de Viena, onde ele atuava profissionalmente na primeira metade do século XIX, nem na França, onde alguns de seus colegas trabalhavam. Atormentado pelo fracasso em conseguir convencer seus pares de suas descobertas Semmelweis, bastante estressado e deprimido, volta a sua Budapeste natal, onde volta a clinicar, mas onde reiteradamente é alvo de hostilidade e zombarias. Para aqueles que o consideram um mártir da medicina reza a lenda que ele contagiou-se propositadamente com bactérias de uma sala de dissecação que acabariam por provocar sua morte em poucas semanas. Ele ainda era bastante jovem, tinha menos de 47 anos. O livro em si (que é uma monografia de final de curso afinal de contas) é mesmo bem escrito. Lê-se facilmente quase de uma vez só, dominados que somos pela prosa de Céline. Don Schelp realmente deu mesmo um belo presente para os jovens médicos santamarienses formados pela UFSM na turma de 2008. [início 20/11/2008 - fim 21/11/2008]
A vida e a obra de Semmelweis, Louis-Ferdinand Céline, tradução de Rosa Freire d’Aguiar, editora Companhia das letras (1a. edição) 1998, brochura 11x15,5 147págs. ISBN: 85-7164-752-6

2 comentários:

Fabiano de Melo disse...

Sem querer parei no seu blog e esse livro me chamou muito a atenção.
Irei adquirí-lo e depois lerei.
Parabéns pelo blog.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.