terça-feira, 1 de março de 2016

do arrebatamento

Cristina Macedo é poeta e tradutora, organiza já há quase dez anos um sarau literário em Porto Alegre, que eu, ai de mim, teimo em não me organizar o suficiente para participar. Já registrei aqui um livro que foi traduzido por ela, o especial "Ariel", de Sylvia Plath. Recentemente ela lançou esse "do arrebatamento". São 64 poemas. Metade deles flertam com o erotismo, com a sensualidade, mas Cristina também fala de seu ofício, daquilo que vê e sente, de seus devaneios e dúvidas, conta as lágrimas e as alegrias da família e dos amigos. O livro começa com um poema intitulado "Nada" e termina com um nomeado "Trilha". Eu, que sempre exagero nas associações, imagino que talvez ela quisesse nos dizer que construiu seus versos sobre as folhas nuas de um caderno novo e a partir deste livro trilhará outros caminhos. Quem sabe? Quem conhece a Cristina e sabe de seu dinamismo e capacidade de trabalho encontra nos poemas uma calma insuspeita, um lirismo que acolhe o leitor, como se ela fosse nos fazer confidências em sussurros, partilhar sua felicidade. Ela não se angustia ao revelar suas influências e homenageia os poetas que lhe são caros: Hilda Hilst e Cecília Meireles entre eles. O livro inclui uma apresentação assinada por Berenice Sica Lamas e uma introdução assinada por Paulo Roberto do Carmo. Belo livro. Vamos a ver se eu consigo um dia ouvi-la declamar seus versos. 
[início: 15/01/2016 - fim: 23/02/2016]
"Do arrebatamento", Cristina Macedo, Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta (Gazeta Santa Cruz), 1a. edição (2015), brochura 12x18 cm., 90 págs., ISBN: 978-85-63336-81-1

Um comentário:

cristina macedo disse...


Obrigada por tua sensível leitura, Aguinaldo! Grande abraço.